Avaliação acerca do conhecimento sobre a Dengue em jovens em idade escolar

Brenda da Silva, Fernando Garcez Porto, Amanda Marchionatti, Ronaldo dos Santos Machado, Stêfani de Moraes, Julio Candido Schimidt, Barbara Oliveira, Natália Helena Mendes, Milene Almeida Ribas, Themis Goretti Moreira Leal de Carvalho

Resumo


Introdução: A dengue é uma arbovirose, transmitida para o homem através da picada do mosquito Aedes aegypti, e que acomete grande número de indivíduos no mundo. Nos últimos 50 anos, junto com o aumento da expansão geográfica, a incidência de dengue aumentou aproximadamente 30 vezes. Ao longo dos anos, diversas medidas de combate à dengue foram implementadas, a partir daí, no ano de 2004 foi possível evidenciar que houve redução de 290% nos casos de dengue em relação ao ano anterior. Objetivo: Descrever o conhecimento de escolares do Rio Grande do Sul sobre o tema dengue. Métodos: Estudo com abordagem quantitativa do tipo descritiva realizado com jovens alunos da rede pública de educação da cidade de Tupãnciretã, por meio de um questionário estruturado. Resultados: Evidenciou-se que a maioria dos alunos tinha conhecimento sobre como a dengue é transmitida, sendo que 35% acreditavam que a fêmea do mosquito transmite a doença e ainda, 58,8% afirmaram que conseguem reconhecer o mosquito. Uma parcela dos alunos acredita que o mosquito pica preferencialmente durante o dia, onde a principal forma de transmissão selecionada foi “O mosquito pica uma pessoa doente e transmite a doença à outra pessoa” e os principais sintomas assinalados foram febre, dor de cabeça e cansaço. Conclusão: O estudo demonstrou que boa parte dos jovens possuem conhecimentos sobre a dengue, entretanto, ainda há crianças e adolescentes que não conhecem o assunto, trazendo à tona a importância deste tema nas campanhas de saúde.


Palavras-chave


Dengue; prevenção primária; Epidemiologia

Texto completo:

PDF

Referências


Chaturvedi UC, Nagar R. Dengue and dengue haemorrhagic fever: Indian perspective. J Biosci. 2008;33(4):429-41.

Salles TS, Sá-Guimarães TE, Alvarenga ESL, Guimarães-Ribeiro V, Meneses MDF, Castro-Salles PF, et al. History, epidemiology and diagnostics of dengue in the American and Brazilian contexts: a review. Parasit Vectors. 2018;11(1):264. https://dx.doi.org/10.1186/s13071-018-2830-8

World Organization Health (WHO). Dengue and severe dengue. Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs117/en/. Acesso em: 01 nov. 2017.

Culshaw A, Mongkolsapaya J, Screaton GR. The immunopathology of dengue and Zika virus infections. Curr Opin Immunol. 2017;48:1-6. https://dx.doi.org/10.1016/j.coi.2017.07.001

Brasil. Ministério da Saúde. Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Disponível em: http://sinan.saude.gov.br/sinan/login/login.jsf.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Dengue no Brasil. Informe epidemiológico: monitoramento. Disponível em: http://www.dengue.org.br/boletimEpidemiologico_n026.pdf. Acesso em: 01 nov. 2017.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Dengue: diagnóstico e manejo clínico : adulto e criança. 5ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Ministério da Educação. Guia para a formação de profissionais de saúde e educação: saúde e prevenção nas escolas. Brasília: Ministério da Saúde; UNESCO; UNICEF; UNFPA, 2007.

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Caderno de anotações relatos de experiências da Semana Saúde na Escola: Contribuições de troca de experiências de ações de identificação e eliminação dos focos do mosquito Aedes aegypti, associadas a atividades de educação em saúde ambiental para a promoção de ambientes saudáveis, que estão sendo desenvolvidas pelo Brasil afora. Brasília: Ministério da Saúde, 2016.

Carvalho TGML, Krabbe EC. Ampliando espaços e articulações: o desafio da prevenção as DST, aids e hepatites virais no IEE Professor Annes Dias. Rev Cataventos. 2015;7(1):1-16.

Menchaca-Armenta I, Ocampo-Torres M, Hernández-Gómez A, Zamora-Cerritos K. Risk perception and level of knowledge of diseases transmitted by Aedes aegypti. Rev Inst Med Trop. 2018;60(10):e10. http://dx.doi.org/10.1590/s1678-9946201860010

Kanyangarara M, Hamapumbu H, Mamini E, Lupiya J, Stevenson JC, Mharakurwa S, et al. Malaria knowledge and bed net use in three transmission settings in southern Africa. Malar J. 2018;17(1):41. http://dx.doi.org/10.1186/s12936-018-2178-8

Bhatt S, Gething PW, Brady OJ, Messina JP, Farlow AW, Moyses CL, et al. The global distribution and burden of dengue. Nature. 2013;496(7446):504-7. http://dx.doi.org/10.1038/nature12060

Zara ALSA, Santos SM, Fernandes-Oliveira ES, Carvalho RG, Coelho GE. Estratégias de controle do Aedes aegypti: uma revisão. Epidemiol. Serv Saúde. 2016;25(2):391-404. http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742016000200017

Brasil. Monitoramento dos casos de dengue, febre de chikungunya e febre pelo vírus Zika até a Semana Epidemiológica. Bol Epidemiol. 2017;48(29):1-13.




DOI: https://doi.org/10.7322/abcshs.v44i1.1068

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Brenda da Silva, Amanda Marchionatti, Ronaldo Santos Machado, Stêfani Moraes, Julio Candido Schimidt, Barbara Oliveira, Natália Helena Silva Mendes, Milene Almeida Ribas, Fernando Garcez Porto, Themis Goretti Moreira Leal Carvalho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.