Binge eating and obesity in climacteric: review of literature

Main Article Content

Franciéli Aline Conte
Lígia Beatriz Bento Franz
Vanessa Huber Idalêncio

Abstract

Climacteric is a phase of relevant changings in the whole women’s lives, especially characterized by hypoestrogenism and another physiological changes and multiple symptoms. Due to the relevance of this important topic to the entire society, we sought to address the relationship between binge eating and obesity in menopause. This paper is based on a review through scientific literature as electronic media and books from the year 2003, using the sources of data: Scientific Electronic Library Online (SciELO), Biblioteca Regional de Medicina (BIREME), Literatura Latino-Americana em Ciências da Saúde (LILACS) and Google Scholar. Overweight and obesity are more prevalent in the climacteric, with food intake and lifestyle directly connected to these factors. Anxiety and stress can lead to a very common problem that impacts directly on food and non-adherence to nutritional interventions: the food cravings, known as binge eating disorder (BED). The menopause can cause increased anxiety and emotional lability because of hipoestrogenism and the alleviation of anxiety or stress often comes through the food, favoring the onset of obesity and BED at this stage.

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

How to Cite
Conte, F. A., Franz, L. B. B., & Idalêncio, V. H. (2014). Binge eating and obesity in climacteric: review of literature. ABCS Health Sciences, 39(3). https://doi.org/10.7322/abcshs.v39i3.656
Section
Review Articles

References

1. Gallon CW, Wender MCO. Estado nutricional e qualidade de vida da mulher climatérica. Rev Bras Ginecol Obstet. 2012;34(4):175-83. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032012000400007

2. Pedro AO, Pinto-Neto AM, Costa-Paiva LHS, Osis MJD, Hardy EE. Síndrome do climatério: inquérito populacional domiciliar em Campinas, SP. Rev Saúde Pública. 2003;37(6):735-42. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102003000600008

3. Lorenzi DRS, Catan LB, Moreira K, Ártico GR. Assistência à mulher climatérica: novos paradigmas. Rev Bras Enferm. 2009;62(2):287-93. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672009000200019

4. Boris GDJB. Mulher, corpo e subjetividade: uma análise desde o patriarcado à contemporaneidade. Rev Mal-Estar Subj. 2007;6(2):451-78.

5. Fleury HJ, Marra MM. Intervenções grupais na saúde. São Paulo: Ágora; 2005.

6. Claudino AM, Zanella MT. Guia de transtornos alimentares e obesidade. São Paulo: Manole; 2005. p. 332.

7. Galvão AL, Claudino AM, Borges MBF. Aspectos históricos e evolução do diagnóstico. In: Nunes MA. Transtornos alimentares e obesidade. 2 ed. São Paulo: Artmed; 2006. p. 45.

8. Barreto AL, Figueiró AS, Soares RM. Padrão alimentar e manejo nutricional dos transtornos alimentares. In: Nunes MA, Appolinário JC, Galvão AL, Coutinho W. Transtornos alimentares e obesidade. 2 ed. São Paulo: Artmed; 2006. p.117.

9. Passos TCBM, Yazigi L, Claudino AM. Aspectos ideativos no transtorno da compulsão alimentar periódica: estudo com o Rorschach. Psico-USF. 2008;13(1):69-74. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-82712008000100009

10. Romano ECB, Philippi ST. O que é compulsão alimentar? O que é episódio bulímico? In: Philippi ST, Alvarenga M. Transtornos alimentares: uma visão nutricional. Barueri: Manole; 2004. p. 194.

11. De Lorenzi DRS, Danelon C, Saciloto B, Padilha Junior I. Fatores indicadores da sintomatologia climatérica. Rev Bras Ginecol Obstet. 2005;27(1):7-11. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032005000100004

12. Lessa M. Doenças ligadas à obesidade custam R$ 488 milhões [Internet]. Disponível em: http://sna.saude.gov.br/noticias.cfm?id=5013. Acesso em: 24 abr. 2014.

13. Almeida CME, Oliveira MRM, Vieira CM. A relação entre a imagem corporal e obesidade em usuárias de Unidades de Saúde da Família. Rev Simbio-Logias. 2008;1(1):111-21.

14. Vieira CM, Turato ER. Percepções de pacientes sobre alimentação no seu processo de adoecimento crônico por síndrome metabólica: um estudo qualitativo. Rev Nutrição. 2010;23(3):425-32. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732010000300010

15. Andrade LHSG, Viana MC, Silveira CM. Epidemiologia dos transtornos psiquiátricos na mulher. Rev Psiq Clín. 2006;33(2)43-54.

16. Azevedo AP, Santos CC, Fonseca DC. Transtorno da compulsão alimentar periódica. Rev Psiq Clín. 2004;31(4):170-2.

17. Montilla RNG, Marucci MFN, Aldrighi JM. Avaliação do estado nutricional e do consumo alimentar de mulheres no climatério. Rev Assoc Med Bras. 2003;49(1):91-5. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302003000100040

18. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Vigitel Brasil 2011: Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde; 2012. p. 132.

19. Bittencourt SA, Lucena-Santos P, Moraes JFD, Oliveira MS. Anxiety and depression symptoms in women with and without binge eating disorder enrolled in weight loss programs. Trends Psychiatry Psychother. 2012;34(2):87-92. http://dx.doi.org/10.1590/S2237-60892012000200007

20. Cortez CM, Araújo EA, Ribeiro MV. Transtorno de compulsão alimentar periódico e obesidade. Arq Catarin Med. 2011;40(1):94-102.

21. Associação Brasileira de Psiquiatria. Transtornos de Ansiedade: diagnóstico e tratamento. Projeto Diretrizes; 2008 [internet]. Disponível em: http://www.projetodiretrizes.org.br/projeto_diretrizes/099.pdf. Acesso em: 24 Abr. 2014.

22. Pereira WMP, Schmitt ACB, Buchalla CM, Reis AOA, Aldrighi JM. Ansiedade no climatério: prevalência e fatores associados. Rev Bras Crescimento Desenvolvimento Hum. 2009;19(1):89-97.

23. Sarubbi EB. Uma abordagem de tratamento psicológico para a compulsão alimentar. Dissertação (Mestrado) – Universidade Católica Dom Bosco. Campo Grande: 2003, p.83.

24. Conte FA, Franz LBB, Weber ITSW, Steinmetz SB, Buss V, Manenti M. A compulsão alimentar no climatério: um artigo de revisão. Salão do conhecimento. Ijuí: 2013.