Burnout e sua relação com o clima organizacional em funcionários de um hospital

Sônia Maria Pessoto dos Santos, Vanessa de Sousa, Fabián Javier Marín Rueda

Resumo


Introdução: Em contextos em que os contatos interpessoais são intensos, os profissionais estão sujeitos a diversas situações de estresse. A síndrome de burnout advém do contato com estressores interpessoais crônicos provenientes do ambiente de trabalho, e seu desenvolvimento é influenciado por alguns aspectos, entre eles, os socioambientais. Objetivo: Entender como se dá a interação entre os sintomas da síndrome de burnout e algumas variáveis do clima organizacional no ambiente hospitalar. Métodos: A amostra foi composta por 565 profissionais de um hospital do interior do estado de São Paulo. A idade variou de 18 a 63 anos, sendo 72,2% do sexo feminino. Os dados foram coletados no ambiente hospitalar, no período de outubro a dezembro de 2012, respeitando-se os devidos procedimentos éticos. Para a análise dos dados, foram realizadas as estatísticas descritivas, assim como teste t de Student e correlação de Pearson. Resultados: Os resultados mostraram que o fator exaustão emocional do MBI-HSS teve correlações estatisticamente significativas e negativas com todas as dimensões da CLIMOR, sendo elas moderadas com os fatores comunicação, integração e satisfação (r=-0,45); desenvolvimento profissional e benefícios (r=-0,46); e pontuação total (r=-0,52). As correlações dos fatores despersonalização e realização profissional do MBIHSS foram de magnitudes baixas com todas as dimensões da CLIMOR. Conclusão: Os dados corroboram a relação entre o clima organizacional e alguns sintomas do burnout. Há necessidade de que novas pesquisas sejam realizadas com delineamento e análises estatísticas mais sofisticadas e, ainda, que tenham grupos equiparados de pessoas com e sem síndrome de burnout.


Palavras-chave


burnout; clima organizacional; ambiente hospitalar

Texto completo:

PDF

Referências


Maslach C, Schaufeli WB, Leiter MP. Job burnout. Annu Rev Psychol. 2001;52:397-22. http://dx.doi.org/10.1146/annurev.psych.52.1.397

Maslach C, Jackson SE. The measurement of experienced burnout. J Occupat Behavior.1981;2(2):99-13. http://dx.doi.org/10.1002/job.4030020205

Benevides-Pereira AMT. As atividades de enfermagem em hospital: um fator de vulnerabilidade ao Burnout. In: Benevides-Pereira AMT. Burnout: quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2002.

Guido LA, Silva RM, Goulart CT, Bolzan MEO, Lopes LFD. Síndrome de burnout em residentes multiprofissionais de uma universidade pública. Rev Esc Enferm USP. 2012;46(6):1477-83. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000600027

Rissardo MP, Gasparino RC. Exaustão emocional em enfermeiros de um hospital público. Esc Anna Nery. 2013;17(1):128-32. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452013000100018

Serralheiro FC, Braga ALF, Garcia MLB, Grigio T, Martins LC. Prevalência da síndrome de Burnout em anestesiologistas de Instituição de Ensino Superior em Medicina. Arq Bras Ciênc Saúde. 2011;36(3):140-3. http://dx.doi.org/10.7322/abcs.v36i3.52

Abbey A, Dickson JW. R&D work climate and innovation in semiconductors. Acad Manag J. 1983;26(2):362-8. http://dx.doi.org/10.2307/255984

Edela LPS. Clima e Cultura Organizacionais como se manifestam e como se manejam. Porto Alegre: Edgar Blucher; 1978.

Tomás CC. Riscos Psicossociais e Clima Organizacional: Burnout nos enfermeiros que cuidam de toxicodependentes. Rev Toxicodependências. 2011;17(2):23-30.

Benevides-Pereira AMT. MBI - Maslach Burnout Inventory e suas adaptações para o Brasil. In: Anais da 32ª Reunião Anual de Psicologia. Rio de Janeiro, 2001. p.84-85.

Rueda FJM, Santos AAA. Escala de Avaliação do Clima Organizacional (CLIMOR). São Paulo: Vetor; 2011.

Dancey CP, Reidy J. Estatística sem matemática para psicologia. Porto Alegre: Artmed; 2006.

Vasques-Menezes I. A contribuição da psicologia clínica na compreensão do burnout: um estudo com professores. Tese (Doutorado em Psicologia) - Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília, Brasília, 2005.

Leiter MP, Maslach C. The impact of interpersonal environment on burnout and organizational commitment. J Organizat Behavior. 1988;9(4):297-308. http://dx.doi.org/10.1002/job.4030090402

Maslach C, Leiter MP, Jackson SE. Making a significant difference with burnout interventions: researcher and practitioner collaboration. J Organizat Behavior. 2012;33(2):296-300. http://dx.doi.org/10.1002/job.784

Monteiro JK, Oliveira ALL, Ribeiro CS, Grisa GH, Agostini N. Adoecimento Psíquico de Trabalhadores de Unidades de Terapia Intensiva. Psicol Ciênc Prof. 2013;33(2):366-79. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932013000200009




DOI: https://doi.org/10.7322/abcshs.v40i1.697

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Sônia Maria Pessoto dos Santos, Vanessa de Sousa, Fabián Javier Marín Rueda

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.