O câncer de mama no estado do Pará, Brasil, e o papel da Liga Acadêmica de Oncologia na promoção da saúde feminina: um relato de experiência

Tiago Galan de França, Luis Eduardo Werneck de Carvalho

Resumo


Introdução: O câncer de mama é um grande agressor da saúde feminina, além de ser o segundo câncer mais incidente nessa população. É uma doença geralmente insidiosa, acometendo mulheres em idade mais avançada. Quando presente em mulheres mais jovens tem pior prognóstico. Assim, diagnóstico e tratamento precoces são essenciais para o bom prognóstico das pacientes. O objetivo deste estudo foi fazer um relato de experiência sobre uma ação de extensão realizada pela Liga Acadêmica de Oncologia do Pará (LAOPA) para detecção do câncer de mama em uma população de risco e discutir a importância de ações de extensão no Pará. Relato de experiência: Um mutirão de rastreio do câncer de mama foi realizado no município de Ananindeua, Pará, em outubro de 2015. Uma capacitação para os acadêmicos foi feita por meio de aulas expositivas sobre câncer de mama e um treino prático foi realizado em modelos anatômicos. A ação foi dividida em espaços, alguns dos quais destinavam-se às consultas e outro, a uma palestra com o tema “desmistificando o câncer de mama”. Conclusão: O 5º Mutirão da Mama se mostrou extremamente importante para o contexto da saúde feminina no Pará, pois ofertou atendimento clínico e exames gratuitos a uma população de risco para a neoplasia de mama, tornando-se também um projeto símbolo da LAOPA.


Palavras-chave


programas de rastreamento; neoplasias da mama; mamografia

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Diretrizes para a detecção precoce do câncer de mama no Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2015.

Brenner DR, Brockton NT, Kotsopoulos J, Cotterchio M, Boucher BA, Courneya KS, et al. Breast cancer survival among young women: a review of the role of modifiable lifestyle factors. Cancer Causes Control. 2016;27(4):459-72. http://dx.doi.org/10.1007/s10552-016-0726-5

Marsicano AP, Soares CC, Pemper KCO, Silva JS, Zem PS, Borges BE, et al. Câncer de mama. Rev Curso Enferm. 2015;4.

Szvarça RR, Ioshii SO, Carvalho DR, Sokoloski WF. Regras de associação temporal em cancer de mama. Rev Eng Tecnol. 2016;7(4):84-90.

World Health Organization. WHO position paper on mammography screening. Genebra: World Health Organization; 2014.

Oeffinger KC, Fontham ETH, Etzioni R, Herzig A, Michaelson JS, Shih YC, et al. Breast cancer screening for women at average risk: 2015 guideline update from the American Cancer Society. Jama. 2015;314(15):1599-614. http://dx.doi.org/10.1001/jama.2015.12783

Brito C, Portela MC, Vasconcellos MTL. Assistência oncológica pelo SUS a mulheres com câncer de mama no Estado do Rio de Janeiro. Rev Saúde Pública. 2005;39(6):874-81. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102005000600002

Silva RCF. Mamografia e rastreamento mamográfico: o debate da detecção precoce do câncer de mama contextualizado para a realidade brasileira. In: Teixeira L. Câncer de mama, câncer de colo de útero: conhecimentos, políticas e práticas. Rio de Janeiro: Outras Letras; 2015. p.165-203.

Marques CAV, Gutiérrez MGR, Figueiredo EN. Políticas de saúde pública para o controle do câncer de mama no Brasil. Rev Enferm UERJ. 2015;23(2):272-8. http://dx.doi.org/10.12957/reuerj.2015.13632

Freitas JA, Oliveira BGP, Ferreira HH, Santo SRE, Santos RH. Análise do índice de cobertura da mamografia em mulheres entre 50 e 69 anos, por nível de ensino, segundo unidade de federação. Rev Med UFC. 2016;56(1):14-7. http://dx.doi.org/10.20513/2447-6595.2016v56n1p14-17

Azevedo RL, Gerótica RMG, Sanches TP. A Importância da Mamografia no Diagnóstico Precoce do Câncer de Mama. UNILUS Ensino Pesq. 2016;13(30):251.

Duarte TP, Andrade AN. Enfrentando a mastectomia: análise dos relatos de mulheres mastectomizadas sobre questões ligadas à sexualidade. Estud Psicol. 2003;8(1):155-63. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2003000100017

Gomes NS, Silva SR. Avaliação da autoestima de mulheres submetidas à cirurgia oncológica mamária. Texto Contexto Enferm. 2013;22(3):509-16. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000200029

Gontijo IBR, Ferreira CB. Sentimentos de mulheres jovens frente ao diagnóstico de câncer de mama feminino. Ciênc Saúde. 2014;7(1):2-10. http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2014.1.15488

Bushatsky M, Cabral LR, Cabral JR, Barros MBSC, Gomes BMR, Figueira Filho ASS. Educação em saúde: uma estratégia de intervenção frente ao câncer de mama. Ciênc Cuid Saúde. 2015;14(1):870-8. http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v14i1.23259




DOI: https://doi.org/10.7322/abcshs.v42i3.924

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Tiago Galan de França, Luis Eduardo Werneck de Carvalho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.