Caracterização do trabalho de enfermeiros e profissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família na Atenção Primária

Dixis Figueroa Pedraza, Daiane de Queiroz, Márcia Cristina Sales, Tarciana Nobre de Menezes

Resumo


Introdução: Avaliar o trabalho dos profissionais de saúde da atenção básica pode revelar informações importantes relacionadas à forma de produção de cuidado, essenciais para sua qualificação e atendimento das necessidades de saúde da população. Objetivo: Este estudo se propôs caracterizar o trabalho de enfermeiros da Estratégia Saúde da Família e profissionais de saúde de Núcleos de Apoio à Saúde da Família em um município da Paraíba, Brasil. Métodos: Trata-se de um estudo transversal no qual foram incluídos enfermeiros da Estratégia Saúde da Família e profissionais de saúde dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família da cidade de Campina Grande, totalizando 52 profissionais, 20 enfermeiros e 32 de outras formações da área de saúde. Utilizou-se um questionário estruturado com informações sobre formação profissional, características do trabalho e satisfação profissional. O projeto teve aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual da Paraíba. Resultados: Os enfermeiros destacaram falta de solidariedade no trabalho e de reconhecimento. A maioria dos profissionais dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família mostrou insegurança decorrente de instabilidade laboral e medo de ficar sem trabalho. Ambos os grupos de profissionais indicaram baixa satisfação com a estrutura física, o atendimento individual à demanda e as reuniões com a comunidade. Conclusão: Os profissionais da Atenção Primária à Saúde do município têm que lidar com limitações impostas por um cenário estrutural pouco favorável das unidades de saúde e vínculos trabalhistas marcados por insegurança, falta de solidariedade e baixo reconhecimento.

Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde; saúde da família; condições de trabalho

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial República Federativa Brasil. 2017.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica Diretrizes do NASF: Núcleo de Apoio a Saúde da Família. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

Silva VG, Motta MCS, Zeitoune RCG. A prática do enfermeiro na Estratégia Saúde da Família: o caso do município de Vitória/ES. Rev Eletr Enf. 2010;12(3):441-8. http://dx.doi.org/10.5216/ree.v12i3.5278

Barbosa RC, Lorenzini E, Bazzo K, Silva EF. Liderança do enfermeiro na estratégia saúde da família: revisão integrativa. Rev Eletr Gestão Saúde. 2013;4(2):428-38. http://dx.doi.org/10.18673/gs.v4i2.22955

Galavote HS, Zandonade E, Garcia ACP, Freitas PSS, Seidl H, Contarato PC, et al. O trabalho do enfermeiro na atenção primária à saúde. Esc Anna Nery 2016;20(1):90-8. http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20160013

Motta LCS, Siqueira-Batista R. Estratégia Saúde da Família: Clínica e Crítica. Rev Bras Educ Med. 2015;39(2):196-207. http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v39n2e00912014

Santos MC, Boechat Frauches M, Rodrigues SM, Toledo FE. Processo de Trabalho do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF): Importância da Qualificação Profissional. Sau & Transf Soc 2017;8(2):60-9.

Tambasco LP, Silva HS, Pinheiro KMK, Gutierrez BAO. A satisfação no trabalho da equipe multiprofissional que atua na Atenção Primária à Saúde. Saúde Debate 2017;41(N. Especial):140-151. http://dx.doi.org/10.1590/0103-11042017s212

Machado MH, Stiebler AL, Oliveira ES, Lampert J, D’Aguiar J, Silva L, et al. Perfil dos médicos e enfermeiros do Programa Saúde da Família no Brasil: relatório final. Brasília: Ministério da Saúde; 2000.

Rocha MCP, Martino MMF, Grassi-Kassisse DM, Souza AL. Estresse em enfermeiros: o uso do cortisol salivar no dia de trabalho e de folga. Rev Esc Enferm USP. 2013;47(5):1194-01. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420130000500025

Roecker S, Nunes EFPA, Marcon SS. O trabalho educativo do enfermeiro na estratégia saúde da família. Texto Contexto Enferm. 2013;22(1):157-65. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000100019

Duarte SJH, Ferreira SF, Santos NC. Desafios de enfermeiros da Estratégia Saúde da Família na implantação do Programa Saúde do Adolescente. Rev Eletr Enf. 2013; 15(2):479-86. http://dx.doi.org/10.5216/ree.v15i2.18179

Costa CMM, Chagas HMA, Matsukura TS, Vieira GI, Marqueze EC, López CG, et al. Contribuições da pós-graduação na área da saúde para a formação profissional: relato de experiência. Saúde Soc. 2014;23(4):1471-81. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902014000400028

Ceitlin J. La medicina familiar en América Latina. Presentación. Aten Primaria. 2006;38(9):511-4. https://dx.doi.org/10.1157/13095056

Barth PO, Aires M, Santos JLG, Ramos FRS. Educação permanente em saúde: concepções e práticas de enfermeiros de unidades básicas de saúde. Rev Eletr Enf. 2014;16(3):604-11. http://dx.doi.org/10.5216/ree.v16i3.22020

Tomasi E, Facchini LA, Piccini RX, Thumé E, Silveira DS, Siqueira FV, et al. Perfil sócio demográfico e epidemiológico dos trabalhadores da atenção básica à saúde nas regiões Sul e Nordeste do Brasil. Cad Saúde Pública. 2008;24(1):193-201. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001300023

Vieira SP, Pierantoni SR, Magnago C, França T, Miranda RG. Planos de carreira, cargos e salários no âmbito do Sistema Único de Saúde: além dos limites e testando possibilidades. Saúde Debate. 2017;41(112):110-21. http://dx.doi.org/10.1590/0103-1104201711209

Raimundi DM, Ferreira FF, Lima FCA, Siqueira VCA. Análise de uma Clínica da Família, visão dos enfermeiros do serviço. Rev Esc Enferm USP. 2016;50(n.spe):130-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420160000300019

Albuquerque IMAN, Araujo Neto JD, Lira GV, Ribeiro MA, Santos FD, Vasconcelos MIO. Contribuições do Núcleo de Apoio à Saúde da Família quanto ao princípio da integralidade. Investigação Qualit Saúde. 2016;2:1482-91.

Ximenes Neto FRG, Ponte MAC, Amaral MIV, Rocha J, Cunha ICKO. Percepção dos enfermeiros sobre a prática profissional na estratégia saúde da família. Disponível em: http://www.index-f.com/lascasas/documentos/lc0468.php. Aceso em: 07 jul. 2017.

Souza MG, Mandu ENT, Elias AN. Percepções de enfermeiros sobre seu trabalho na estratégia saúde da família. Texto Contexto Enferm. 2013;22(3):772-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000300025

David HMSL, Mauro MYC, Silva VG, Pinheiro MAS, Silva FH. Organização do trabalho de enfermagem na Atenção Básica: uma questão para a saúde do trabalhador. Texto Contexto Enferm. 2009;18(2):206-14.

Caçador BS, Lopes FN, Pacheco LC, Alves MS, Salimena AMO. O enfermeiro na estratégia de saúde da família: percepção dos usuários. HU Rev. 2012;37(3):331-8.

Santini SML, Nunes EFPA, Carvalho BG, Souza FEA. Dos recursos humanos’ à gestão do trabalho: uma análise da literatura sobre o trabalho no SUS. Trabalho, Educação e Saúde. 2017;15(2):537-59. http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sol00065

Silva DSD, Tavares NVS, Alexandre ARG, Freitas DA, Brêda MZ, Albuquerque MCS, et al. Depressão e risco de suicídio entre profissionais de Enfermagem: revisão integrativa. Rev Esc Enferm USP. 2015;49(6):1027-36. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420150000600020

Lima L, Pires DEP, Forte ECN, Medeiros F. Satisfação e insatisfação no trabalho de profissionais de saúde da atenção básica. Esc Anna Nery. 2014;18(1):17-24. http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20140003

Silva CCS, Rodrigues LMC, Silva VKBA, Silva ACO, Silva VLA, Martins MO. Percepção da enfermagem sobre condições de trabalho em unidades de saúde da família na Paraíba - Brasil. Rev Eletr Enf. 2013;15(1):205-14. http://dx.doi.org/10.5216/ree.v15i1.15074

Cassiani SHB, Bassalobre-Garcia A, Reveiz L. Acesso Universal à Saúde e Cobertura Universal de Saúde: identificação de prioridades de pesquisa em enfermagem na América Latina. Rev Latino-Am Enfermagem. 2015;23(6):1195-208. http://dx.doi.org/10.1590/0104-1169.1075.2667

Brasil. Ministério da Saúde. Agenda nacional de prioridades de pesquisa em saúde. 2 ed. 4 reimpr. Brasília: Ministério da Saúde; 2015.




DOI: https://doi.org/10.7322/abcshs.v43i2.993

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Dixis Figueroa Pedraza, Daiane Queiroz, Márcia Cristina Sales, Tarciana Menezes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.